Fique por DENTRO

24
Abr
Pintas pelo corpo ( perguntas de consultório)

Oncologia cutânea

1-Acho minhas pintas muito feias . Posso  tirá-las?

R : Na prática qualquer pinta ( cientificamente chamada de nevo) pode ser removida. A grande questão é :  a cicatriz que vai deixar vale à pena? Geralmente lesões de face cicatrizam melhor esteticamente que as do corpo. Mas em geral tende-se a uma conduta de não remoção pois em geral a pinta é mais bonita que a cicatriz. Cada caso pode ser visto isoladamente, é claro.

2- Tenho muitas pintas . Isso é perigoso?

R : Depende. Elas precisam ser examinadas por um médico experiente nesta área e devem ser classificadas em risco ( baixo, intermediário e alto) . Estamos falando na possibilidade de a pinta ser banal , semelhante a um melanoma ou ser um melanoma ( câncer de pele metastatizante e potencialmente fatal, muitas vezes negligenciado por não causar sintomas).

3-Quando tenho que me preocupar com uma pinta?

R : Na verdade o termo correto não é preocupação mas sim o grau de atenção médica necessária. A regra do ABCD ( foto ) é uma triagem mas a palavra final deverá ser do médico ( experiente em dermatoscopia) para decidir se dá alta ao paciente ( pinta de baixo risco) , acompanha a evolução da mesma ( fotos dermatoscópicas seriadas de pintas intermediárias) ou se efetua uma biópsia ( pinta de alto risco).

 

4-Qual a frequência com que devo ir ao dermatologista para checar minhas pintas?

Irá depender de alguns fatores . Se história pessoal ou familiar de melanoma estiverem presentes além de múltiplas pintas e presença de uma ou mais pintas de risco intermediário deverão ter reavaliações mais frequentes ( de 3 em 3 meses ou de 6 em 6 meses). Lembremos aqui da necessidade do mapeamento corporal das pintas ( fotos do corpo) e das fotos dermatoscópicas seriadas nesses casos.

 

<<Voltar